22/01/2010

Redes inteligentes no Brasil

Redes inteligentes no Brasil

A empresa americana especializada em tecnologia smart grid Silver Spring Networks pretende começar a operar no Brasil nos próximos três anos, contou o seu vice-presidente de Desenvolvimento de Novos Negócios, John O'Farrell, ao EnergiaHoje. A empresa atualmente disputa contratos de projetos pilotos com concessionárias brasileiras. Ainda no primeiro semestre a empresa deve assinar com a Axxiom, subsdiária da Cemig, dois contratos de valor não relevado para implantação da tecnologia, revela o diretor Comercial da Axxiom, Miguel Sarmento.

A Silver Spring ainda não decidiu onde será instalada sua filial no Brasil. A empresa vai decidir entre São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Funcionários brasileiros já estão sendo contratados no Estados Unidos.

No início deste ano, a empresa anunciou a captação de US$ 100 milhões para investimentos em novas aplicações da tecnologia smart grid em diversos países, entre eles o Brasil. O negócio foi conduzido, na segunda quinzena de dezembro, por investidores institucionais, incluindo os atuais investidores Google Ventures, Foundation Capital, Kleiner Perkins Caulfield & Byers e Northgate Capital. “Estamos otimistas com o potencial do mercado brasileiro. O país tem boas condições para a tecnologia e possui algumas das maiores concessionárias (de energia) do mundo”, comenta O´ Farrell.

As redes inteligentes diminuem o risco de apagões e podem economizar mais de US$ 100 bilhões por ano de seus consumidores industriais e residenciais, defende o executivo. Os novos medidores digitais – parte da tecnologia de smart grid – são capazes, quando há um problema na rede, de enviar às concessionárias o 'último suspiro' do sistema de transmissão e detectar a localização exata do problema.

Um dos alvos da nova tecnologia são as perdas não técnicas de energia (furto). “Os medidores inteligentes oferecem sistemas de comunicação sofisticados baseados em padrões abertos de Protocolo de Internet (IP) que permitem acesso contínuo em duas vias entre a concessionária e todo e qualquer dispositivo ligado à rede”, explica John O´Farrell.

O controle do consumo também é outro atrativo. A tencologia permite, por exemplo, que as concessionárias possam, de forma remota, conectar ou desconectar os serviços da casa de um consumidor, enviar informações tarifárias para que os consumidores possam compreender quanto custa a sua energia em tempo real e administrar a integração de fontes de energia renovável intermitentes, como energia solar ou eólicas.

As falhas também são identificadas mais rapidamente. Como em uma rede de dados, é possível definir a rota por onde vai passar a energia, evitando trechos com problemas e garantindo o fornecimento. A tecnologia de rede inteligente economiza de 5% a 15% do consumo de energia.

Criada em 2002 e sediada em Redwood City, California, a Silver Spring Networks possui mais de 200 funcionários e atua globalmente por parcerias na Austrália, Reino Unido e Brasil.

FONTE: Energia hoje

Nenhum comentário:

Postar um comentário